FIIS Investimentos

10 fundos que possuem potencial de crescimento e que pagam bons dividendos mensais

Os fundos imobiliários (FIIs) são uma forma de investir em imóveis sem ter que comprar ou administrar um. Eles são formados por cotas que representam uma fração do patrimônio de um conjunto de imóveis, como shoppings, escritórios, galpões, hospitais, etc. Os FIIs pagam periodicamente aos cotistas uma renda proveniente dos aluguéis ou da venda dos imóveis. Essa renda é isenta de imposto de renda para pessoas físicas, desde que o FII tenha pelo menos 50 cotistas e o investidor não possua mais de 10% das cotas.

Os FIIs podem ser uma boa opção para quem busca diversificar sua carteira, gerar renda passiva e se beneficiar da valorização dos imóveis no longo prazo. No entanto, é preciso analisar bem cada fundo antes de investir, pois eles apresentam riscos como vacância, inadimplência, desvalorização, liquidez e gestão.

Para ajudar você a escolher os melhores FIIs para 2024, fizemos uma lista de 10 fundos que possuem potencial de crescimento e que pagam bons dividendos mensais. Esses fundos foram selecionados com base em critérios como histórico de rentabilidade, qualidade dos ativos, diversificação, gestão, governança e liquidez. Vale lembrar que essa lista não é uma recomendação de compra ou venda, mas apenas uma referência para sua pesquisa. Confira:

  1. HGLG11: É um fundo de galpões logísticos que possui 18 imóveis em 8 estados brasileiros. O fundo tem como principais locatários empresas como Amazon, Mercado Livre, Magazine Luiza e B2W. O fundo se destaca pela alta ocupação, pelo baixo custo operacional e pela localização estratégica dos imóveis. O fundo pagou em média R$ 0,80 por cota nos últimos 12 meses, o que representa um dividend yield de 6,5% ao ano.
  2. XPML11: É um fundo de shoppings centers que possui participações em 13 empreendimentos em 9 estados brasileiros. O fundo tem como principais locatários redes como Renner, Riachuelo, C&A e Lojas Americanas. O fundo se beneficia da recuperação do consumo, da vacinação contra a covid-19 e da gestão ativa da XP Asset. O fundo pagou em média R$ 0,54 por cota nos últimos 12 meses, o que representa um dividend yield de 5% ao ano.
  3. KNRI11: É um fundo de lajes corporativas que possui 18 imóveis em 5 estados brasileiros. O fundo tem como principais locatários empresas como Google, Facebook, Uber e Netflix. O fundo se diferencia pela qualidade dos ativos, pela diversificação geográfica e setorial e pela gestão profissional da Kinea. O fundo pagou em média R$ 0,65 por cota nos últimos 12 meses, o que representa um dividend yield de 4% ao ano.
  4. BCFF11: É um fundo de fundos que investe em cotas de outros FIIs e em certificados de recebíveis imobiliários (CRIs). O fundo tem como objetivo gerar renda mensal e ganhos de capital no longo prazo. O fundo tem uma carteira diversificada e bem balanceada entre os segmentos de logística, lajes corporativas, shoppings e CRIs. O fundo pagou em média R$ 0,58 por cota nos últimos 12 meses, o que representa um dividend yield de 7% ao ano.
  5. HGRE11: É um fundo de lajes corporativas que possui 15 imóveis em São Paulo e no Rio de Janeiro. O fundo tem como principais locatários empresas como Itaú, Bradesco, Santander e Petrobras. O fundo se beneficia da retomada do mercado de escritórios após a pandemia e da gestão ativa da Credit Suisse Hedging Griffo. O fundo pagou em média R$ 0,70 por cota nos últimos 12 meses, o que representa um dividend yield de 6% ao ano.
  6. VISC11: É um fundo de shoppings centers que possui participações em 15 empreendimentos em 11 estados brasileiros. O fundo tem como principais locatários redes como Cinemark, Burger King, McDonald’s e Starbucks. O fundo se destaca pela qualidade dos ativos, pela diversificação geográfica e pela gestão especializada da Vinci Partners. O fundo pagou em média R$ 0,50 por cota nos últimos 12 meses, o que representa um dividend yield de 4,5% ao ano.
  7. HFOF11: É um fundo de fundos que investe em cotas de outros FIIs e em CRIs. O fundo tem como objetivo gerar renda mensal e ganhos de capital no longo prazo. O fundo tem uma carteira diversificada e bem selecionada entre os segmentos de logística, lajes corporativas, shoppings, hotéis e CRIs. O fundo pagou em média R$ 0,60 por cota nos últimos 12 meses, o que representa um dividend yield de 6,5% ao ano.
  8. HABT11: É um fundo de desenvolvimento imobiliário que investe em projetos residenciais para a baixa renda. O fundo tem como objetivo gerar renda mensal e ganhos de capital no longo prazo. O fundo tem uma carteira composta por 18 projetos em 9 estados brasileiros. O fundo se beneficia do déficit habitacional, do programa Casa Verde e Amarela e da gestão experiente da Habitat. O fundo pagou em média R$ 0,40 por cota nos últimos 12 meses, o que representa um dividend yield de 5% ao ano.
  9. RBRP11: É um fundo de papéis que investe em CRIs e em letras de crédito imobiliário (LCIs). O fundo tem como objetivo gerar renda mensal e ganhos de capital no longo prazo. O fundo tem uma carteira composta por 54 CRIs e 10 LCIs, com foco nos segmentos de logística, lajes corporativas e shoppings. O fundo se diferencia pela qualidade dos créditos, pela diversificação dos ativos e pela gestão criteriosa da RBR Asset. O fundo pagou em média R$ 0,80 por cota nos últimos 12 meses, o que representa um dividend yield de 9% ao ano.
  10. IRDM11: É um fundo de recebíveis imobiliários que investe em CRIs e em debêntures incentivadas de infraestrutura (DIs). O fundo tem como objetivo gerar renda mensal e ganhos de capital no longo prazo. O fundo tem uma carteira composta por 41 CRIs e 13 DIs, com foco nos segmentos de logística, lajes corporativas, shoppings e energia. O fundo se destaca pela rentabilidade acima da média, pela isenção fiscal dos DIs e pela gestão competente da Iridium. O fundo pagou em média R$ 0,90 por cota nos últimos 12 meses, o que representa um dividend yield de 10% ao ano.

Você também pode gostar...